RESUMO


A narrativa inicia-se com o naufrágio do navio onde [[/wiki/Gulliver|Gulliver]] seguia. Após o naufrágio ele foi arrastado para uma ilha chamada [[/wiki/Lilliput|Lilliput]]. Os habitantes desta ilha, que eram extremamente pequenos, estavam constantemente em guerra por futilidades. Foi através dos lilliputianos que Swift demonstrou a realidade [[/wiki/Inglaterra|inglesa]] e [[/wiki/Fran%C3%A7a|francesa]] da época.
Na segunda parte, Gulliver conheceu [[/wiki/Brobdingnag|Brobdingnag]]. Em contraposição a Liliput, na terra de Gigantes é que Gulliver percebe a Dimensão da mediocridade da sociedade inglesa diante da "grandeza" dos habitantes.
Já na terceira parte Na ilha Flutuante de Laputa, Swift criticou a [[/wiki/Royal_Society|Royal Society]], a administração inglesa na [[/wiki/Irlanda|Irlanda]] e a [[/wiki/Imortalidade|imortalidade]], através da descrição dos habitantes dos países por onde Gulliver passou, com alienados cientistas, é uma feroz crítica ao pensamento cientifico que não traz benefícios para a humanidade.
Na última viagem Gulliver encontrou os [[/w/index.php?title=Houyhnhm&action=edit&redlink=1|Houyhnhm]], uma raça de cavalos que possuía muita inteligência, que representavam os ideais iluministas da verdade e da razão. Os Houyhnhm temiam que alguém dos [[/wiki/Yahoo_(povo)|Yahoo]] (uma raça imperfeita de um tipo de "humanos") movidas por instintos primitivos, se tornasse culto, satirizando a raça humana. Gulliver vê a humanidade como yahoos e toma nojo do ser humano.
Por fim Gulliver regressou a Inglaterra para ensinar aos outros as virtudes que aprendera com os Houyhnhm.

http://pt.wikipedia.org/wiki/As_Viagens_de_Gulliver

guliver.jpg